Cerâmica ou Porcelanato?

Você sabe quais são as diferenças entre cerâmicas e porcelanatos?

 

Para escolher o piso da reforma ou da casa nova, não podemos pensar só nas cores, texturas ou tamanhos. É preciso entender um pouco sobre os revestimentos disponíveis no mercado. Vamos entender um pouco sobre as suas diferenças, assim problemas futuros são evitados.

O tamanho das placas deve ser escolhido pelo tamanho do ambiente. As placas grandes sofrem muito com perdas em locais pequenos. Para esses lugares é recomendado usar peças menores, assim o pedreiro terá que fazer menos cortes para o assentamento.

Cuidado com as áreas molhadas! Ambientes externos, cozinhas ou banheiros exigem revestimentos antiderrapantes. Já em ambientes secos, como salas e quartos, pode ser usado pisos lisos e com brilho. Lembrando que os pisos de acabamento com brilho são mais frágeis e perdem o brilho com o tempo, principalmente em locais com movimento muito grande de pessoas.

Já sabe se vai comprar Porcelanato ou Cerâmica? Veja abaixo as especificações de cada piso.

 

 

Cerâmicas

revestimento ceramico portobello

Cerâmica Fonte: http://solucoeslucymizael.com.br/

São feitas principalmente por uma mistura de argila com outras substâncias químicas. São mais baratas que o Porcelanato e tem disponíveis modelos esmaltados e naturais. As esmaltadas são mais resistentes a umidade e a produtos químicos.

Existem também catagorias, Tipo A é a cerâmica de primeira linha, na sua grande maioria não tem defeitos visuais. Tipo B e C tem a mesma resistência que a primeira, mas aparecem alguns defeitos em seu acabamento. A Tipo D não tem garantia de resistência, além de seus defeitos visíveis, e não é mmuito recomendada, pois tem sua vida útil muito pequena.

 

 

Porcelanato

BANHEIRO

Porcelanato – Portobello Bianco Paonazzetto 90×90 Polido Retificado – Foto: Felipe Torelli

Esses são feitos com massa porcelânica e argilomineirais. Na sua fabricação sofrem mais queima que as cerâmicas, proporcionando maior resistência ao produto final. Outras vantagens são: alta resistência mecânica, resistência a agentes químicos, baixa absorção de umidades, além de serem mais fáceis de limpar. Tem uma facilidade maior na hora da instalação, pois todos têm o mesmo tamanho, sem grandes variações de peça para peça.

Os produtos com etiqueta de Qualidade A, ou Qualidade Extra, atendem as normas técnicas da NBR 15463 ou NBR 13818. Nessa categoria, os pisos tem tamanhos regulares e sem defeitos na superfície. A linha Comercial ou Tipo C, podem ter alguns defeitos e serem um pouco irregulares, é a versão mais barata, porém o cliente pode sofrer com perdas na hora do assentamento.

 

Além dessas linhas, o porcelanato pode ser encontrado em versões Esmaltadas ou Técnicas.

Esmaltadas: tem uma camada de esmalte na sua superfície e podem ter acabamento com brilho, rústico ou acetinado. Esses têm mais resistência a manchas.

 

Técnico / Massa única: a grande diferença quando comparados aos esmaltados, é que a peça técnica é feita com uma massa única. Além de trazer maior resistência e absorção de umidade, essa opção disfarça trincas e pequenos lascados, pois o seu interior tem a mesma cor que a superfície. Tem opção de acabamentos Natural sendo semifosco, ou Polidos que passam por um processo de polimento mecânico.

 

Piso concretíssima

Porcelanato – Portobello Matiz Grigo 60×120 Natural Retificado – Foto: Marcela Madureira

 

 

Sobre o corte das peças existem dois tipos:

Retificado: Tem os cantos retos em 90°, para a instalação é necessário uma quantidade menor de rejunte, podendo ser feito quase sem junta.

residencia SF

Porcelanato – Portobello Cement 90×90 Natural Retificado – Foto: Karen Felix e Maira Rossi

 

 

Bold:  Tem as bordas arrendondadas, e na instalação as peças ficam um pouco mias distante uma das outras, ficando mais parecido com os pisos cerâmicos.

restaurante canteiro santos

Porcelanato – Portobello Six Concreto Aparente 48×48 Bold – Foto: Felipe Torelli

 

 

Conseguiu definir qual o tipo de piso se encaixa mais no seu caso? Lembre-se de comprar de 10 a 15% a mais do que o necessário, pois existe perda no assentamento. Deixando para comprar depois, tem a possibilidade de não ser exatamente igual ao que foi comprado anteriormente.

Lembre-se também que a mão de obra para a instalação deve ser muito bem escolhida, assim a vida útil do seu piso pode ser prolongada a muito e muitos anos!

 

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato via comentário que responderemos assim que possível!

Curta nossa página no facebook e fique por dentro de todas as novidades do escritório!

https://www.facebook.com/DanyelaCorreaArquiteta/