Decorando a casa para o inverno

É, o inverno está de volta, gostando ou não dessa estação do ano, temos que nos adaptar. Isso não é diferente com as nossas casas, com pequenas mudanças é possível mudar o visual, e deixar o lugar mais aconchegante. Veja algumas das nossas dicas para enfrentarmos esse friozinho com estilo.

Cadeira trico - Casa.com.br

Cadeira com trico – Fonte: casa.com.br

 

Almofadas e mantas

Com uma mudança pequena, investir em almofadas e mantas, além de dar um up no visual, é ótimo para o frio. Isso serve tanto para a sala quanto para os quartos. O melhor nas almofadas é a possibilidade de troca de capa, e sempre atualizar o ambiente de acordo com a estação ou com o nosso humor. As mantas são ótimas para assistir tv, as peseiras (tecidos que ficam na região dos pés na cama) além de aquecer, dá um chame ao quarto.

Colcha - Casa de Valentina

Sofá com manta e almofada – Fonte: Casa de Valentina

 

Cortinas

As cortinas de tecido fino dão lugar aos tecidos mais grossos, que não permitem a circulação de vento. O ideal é deixar as janelas e portas abertas pela manhã, e no restante do dia fechadas. Assim mantemos o ambiente arejado e aquecido ao mesmo tempo.

Cortina - Foto Thyara Porto

Sala com cortina de tecido- Fonte Thyara Porto

 

Lareira

As lareiras são uma ótima pedida para o friozinho, as mais indicadas são as ecológicas que são a base de álcool, não poluem e não precisam de chaminé, pois não emitem fumaça. No mercado existem de todos os tamanhos, as portáteis são fácil de transportar e cabem até em ambientes pequenos.

Lareira ecológica - construflama

Living com lareira ecológica – Fonte: Construflama

 

Tapetes

Os tapetes quando bem utilizados, preenchem a sala e completam a decoração. No inverno o ideal é usar os tapetes com tecidos mais felpudos, que aquecem e protegem do contato com o chão frio. Não se esqueça dos tapetes dos banheiros. Veja abaixo algumas imagens de como usar os tapetes sem errar no tamanho.

 

Tapete - Casa Vogue

Sala com tapete felpudo – Fonte: Casa Vogue

 

Tapete tamanho - incrivel.club

Acerte no tapete do quarto – Fonte: Incrível.club

 

Tapete tamanho - carinapedro.com

Acerte no tapete da sala – Fonte: carinapedro.com

 

 

Iluminação

Deixe de lado a iluminação branca e aposte nos tons amarelados, eles são mais aconchegantes e tornam o ambiente mais intimista, principalmente para os quartos.

Iluminação - palazzo.ind.br

Quarto com iluminação quente – Fonte: palazzo.ind.br

 

iluminação - temperatura

Temperatura de cor

 

Madeira

Não existe estação para a madeira, mas no inverno ela rouba a cena. Pode ser usada em diversos lugares, como pisos, painéis e mobiliários. Assim além de mais quente, o ambiente fica mais aconchegante.

Madeira - casa vogue

Sala com móveis em madeira e painel de madeira nas paredes – Fonte: Casa Vogue

 

Gostou de nossas dicas? Ficou com dúvida ou tem uma sugestão de assunto? Comente aqui em baixo!

 

Veja nossos perfis no Facebook e Instagram e fique por dentro de todas as novidades do escritório!

 

https://www.facebook.com/DanyelaCorreaArquiteta/

https://www.instagram.com/danyelacorrea.arquiteta/

 

Iluminação – Incandescentes e Fluorescentes

Já pensou em deixar sua casa mais aconchegante?

Um bom projeto iluminação pode fazer milagres, destacando os pontos forte e criando diferentes cenas para cada momento.

 

Mas primeiro precisamos entender os tipos de lâmpadas existentes no mercado.

 

– Lâmpadas incandescentes:

Incandecentes

É o tipo de lâmpada mais antiga, muito utilizada para projetos residências por terem baixo custo de compra. Porém, o rendimento na parte energética também é baixo, o que faz com que sejam pouco usadas para fins não residenciais. Cerca de 5% da energia é transformado em luz, já os outros 95% são perdidos em forma de calor.

Além das incandescentes normais, existem o grupo das incandescentes halógenas, como as PAR, Dicroicas, AS e Halopin. Essas têm a possibilidade de atingir temperaturas mais elevadas, rendendo maior eficiência luminosa. Comparando com as comuns, essas oferecem mais luz e tem a vida útil mais prolongada.

Lâmpada Halopin

Lâmpada Halopin

Dicroica

Dicroica

Par 20

Par 20

 

A qualidade da sua luz é destaque nesse tipo de luz, por isso não são substituídas por outros tipos mais econômicos. São indicadas para valorização de objetos como quadros ou texturas.

A possibilidade de serem

também é uma vantagem muito grande, assim podemos usar uma quantidade menor de luz, criando ambientes mais aconchegantes para quartos, home thearter, entre outros.

 

 

– Lâmpadas Fluorescentes:

Lâmpada Fluorescente

Lâmpada Fluorescente

São conhecidas como lâmpadas frias, essas funcionam graças a uma mistura de gases (argônio, mercúrio e fósforo) dentro de seus tubos. Tem a vida útil muito maior que as incandescentes, até seis vezes. Outra grande qualidade nesse tipo de lâmpada é o consumo de energia, elas não perdem energia com o calor, assim utilizam menos energia que suas concorrentes.

Porém, esse tipo de lâmpada não tem a mesma qualidade de reprodução de luz quando comparadas as incandescentes. Com diversas pesquisas, surgiram novos formatos que buscam compensar esse problema, como as compactas, torcidas, redondas e formatos similares as incandescentes.

Lâmpada Fluorescentes

Lâmpada Fluorescentes

Não é recomendado utilizar somente esse tipo de lâmpada no projeto luminotécnico, elas exigem muito cuidado para ter um resultado interessante. As temperaturas das cores podem variam muito, trazendo novos aspectos para cada ambiente.

No próximo post falaremos sobre as lâmpadas LED, novo fenômeno do setor.

 

15 dicas para eliminar odores

Quem já leu as outras matérias sobre bicarbonato de sódio, na limpeza e nos cuidados pessoais, pode achar que esse produto multiuso não pode ter ainda mais utilidades na casa, já que citamos muitas até aqui… Se engana, o bicarbonato de sódio ainda é capaz de mais… Por isso hoje trazemos mais dicas, agora na desodorização, ou seja, para tirar aquele cheiro ruim que nenhum outro produto conseguiu, e que exige muito trabalho para fazê-lo. Vamos às 15 dicas para eliminar odores com bicarbonato de sódio:

Eletrodomésticos

1. Cheiro de geladeira: Colocando um potinho aberto de bicarbonato de sódio na parte de trás do refrigerador, neutraliza os odores.

2. Desinfetar e limpar a máquina de lavar louça: Use bicarbonato de sódio para desinfetar antes de operar a máquina de lavar louça e depois como um limpador delicado no ciclo de lavagem.

3. Aspirador de pó: Polvilhe bicarbonato de sódio livremente sobre o tapete (pode usar uma peneira). Deixe repousar durante a noite ou o maior tempo possível (quanto mais ele gruda melhor). Depois basta aspirar que terá tapete e aspirador desodorizados.

Foto: via Ehow

Utensílios

4. Desodorize a tábua de carne: Polvilhe a tábua com bicarbonato de sódio, esfregar e enxaguar.

5. Desinfetar latas de lixo: As latas de lixo, por mais cuidado que temos para que se mantenham limpas, sempre apresentam algum cheiro. Polvilhe bicarbonato de sódio no fundo de sua lata de lixo para mantê-la livre de odores.

6. Ralos e tubulação: Para desinfetar os ralos da pia e banheira, basta despejar 1/2 xícara de bicarbonato de sódio no ralo e deixar correr água quente da torneira – o que irá neutralizar odores. Você também pode experimentar jogar um pouco de vinagre no bicarbonato de sódio e depois a água quente, a reação será visível.

7. Desodorize lancheiras: Polvilhe bicarbonato de sódio na lancheira para absorver odores.

8. Refrescar o armário: Coloque uma caixa de bicarbonato de sódio na prateleira do armário para mantê-lo com cheiro fresco.

Tecidos e vestuário

9. Cama fresca: Adicione 1 xícara de bicarbonato de sódio ao ciclo de lavagem para obter lençóis e toalhas mais frescos.

10. Desodoriza roupas com cheiro de suor: O cheiro de suor nas roupas de ginástica ou naquela sua blusinha colada, que mesmo depois da lavagem continua cheirando, pode ser neutralizado com meia xícara de bicarbonato de sódio no ciclo de lavagem.

11. Remova os odores de bichinhos de pelúcia: Mantenha o seu brinquedo de pelúcia com um aroma fresco dando um banho de bicarbonato de sódio seco. Coloque-o dentro de um saco plástico, polvilhe bicarbonato de sódio e deixe descansar por 15 minutos, remova o bicarbonato de sódio com uma escova.

12. Desodorize sapatos: Mantenha seus sapatos livres de odores colocando bicarbonato de sódio sobre eles quando não estão em uso. Remover antes de usar. Também pode fazer sachês com bicarbonato e colocar no interior dos sapatos.

Foto: via Hipgirlie

Animais de estimação

13. Tirar cheiro da caixa de areia do gato: Cobrir o fundo da caixa com bicarbonato de sódio e, em seguida, encher com areia, como de costume.

14. Cheiro de cama de animais de estimação: Remova odores da caminha de seus animais de estimação polvilhando com bicarbonato de sódio, aguarde 15 minutos (ou mais para odores mais fortes), em seguida, aspirar.

Foto: via Dog Supply

Carro

15. Desodorização de carro: Os cheiros dos bancos e tapetes do carro são bem definidos e cada vez que você senta para andar, é possível sentí-lo novamente. Para eliminar esses odores, basta polvilhar bicarbonato de sódio, deixar agir por no mínimo 15 minutos e depois aspirar.

Partindo do princípio de que o bicarbonato de sódio esteriliza e dessas dicas que demos aqui, tenho certeza de que você pode aplicar essas técnicas a muito mais tarefas em sua casa, basta usar a imaginação e esse pozinho mágico, que já está ganhando minha simpatia.

via Donas de Casa Anonimas

Categoria: Blog, DICAS · Tags: ,

Compras on-line

Adorei esta reportagem da Casa&Jardim. Acho que este nicho de e-commerce deve se expandir bastante aqui no Brasil. Eu particularmente já comprei  nos sites:

www.desmobilia.com.br – moveis e objetos de decoração

www.cleusapresentes.com.br – objetos de decoração e utilidades domésticas

www.precolandia.com.br – objetos de decoração e utilidades domésticas

www.mercadolivre.com.br – objetos de decoração, livros e objetos para coleções

www.portcasa.com.br – cama, mesa e banho

E vocês já compraram pela internet algo para o cantinho de vocês? O que acharam? Repetiriam a experiência?

“Gastar a sola do sapato atrás de um bom achado para a casa é coisa do passado. Agora a internet supre o seu desejo – qualquer que seja ele. Para incentivá-lo a vasculhar a rede, seis experts nesse tipo de garimpo dão dicas valiosas.

 Texto Stéphanie Durante | Fotos Edu Castello e Felipe Gombossy

 Os brasileiros estão perdendo o medo e se rendendo cada vez mais às facilidades da internet. em 2009, o Brasil ocupava o sexto lugar entre os países onde mais se fazem compras on-line, segundo a empresa dinamarquesa Ebeltoft Group. no ano passado, saltamos para a terceira posição. “a internet traz praticidade para a vida das pessoas”, afirma a blogueira Carmen Martins.

A possibilidade de comparar preços é um ponto a favor. e, nesses casos, os sites internacionais ganham em disparada. “Vale muito a pena comprar em endereços de fora, pelo preço e pela variedade de produtos”, conta a empresária Adriana Gama. “mas tem de comprar e esquecer um pouco, porque você nunca sabe quando vai chegar. Já recebi compras depois de 15 dias, mas também já esperei quase dois meses”, completa. os preços dos sites internacionais são tentadores, mas, antes de finalizar a compra, lembre-se das taxas alfandegárias. o imposto não é cobrado em livros, revistas e compras inferiores a Us$ 50. a partir dessa quantia, o consumidor paga 60% do valor total da compra, referente ao custo do produto mais o frete.

Para aqueles que ainda desconfiam da web, o advogado Victor Haikal, especialista em direito digital, assegura que a compra on-line vale a pena. “É um modo de aquisição seguro, mas é preciso desconfiar de ofertas absurdas”, afirma. “e vale lembrar que todos os direitos do consumidor são aplicados à internet. o prazo de arrependimento, por exemplo, garante um período de sete dias para a devolução do produto”, diz. para evitar dor de cabeça, verifique o telefone ou o e-mail de contato do site, pesquise possíveis reclamações nas redes sociais e no cadastro do procon, certifique-se de que um cadeado aparece na barra de endereço, veja se há despesas com fretes e taxas adicionais e guarde todos os dados da negociação – itens adquiridos, valor pago, forma de pagamento e confirmação do pedido. “caso tenha algum problema, procure o estabelecimento. se for preciso, registre uma reclamação no procon ou, em último caso, procure um advogado”, diz Haikal.

O robô, hoje na estante de Guto, foi a arrematado no eBay. A maioria dos livros é da Amazon

A biblioteca do arquiteto Guto Requena, 32 anos, cresceu bastante desde a descoberta do aplicativo para celular Snaptell. Ele tira uma foto do livro pelo qual se interessou e o programa mostra os sites que vendem o produto. “Faço muitas compras assim. Os preços são ótimos”, diz. Guto também usa a internet para programar suas férias: compra passagens de avião e entradas para passeios e museus. “escolho onde vou me hospedar pelo Bed and Breakfast ou pelo Only-apartments. no ano passado, fui para Copenhagen e fiquei na casa de um designer.”

Sites indicados
fastshop.com.br • amazon.com • ebay.com • oppa.com.br
otticanet.it • only-apartments.com • bedandbreakfast.com

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………….

A empresária Adriana Gama, 32 anos, dona da loja O Sorriso do Gato, adora fazer compras na internet, principalmente em sites internacionais. “eu calculo quanto ficaria com o frete e a taxa, e comparo com o valor que pagaria aqui”, conta. O resultado, garante ela, é sempre satisfatório: “Sai muito mais barato, mesmo com as taxas. e você encontra coisas que não são vendidas no Brasil”. Os pôsteres na parede da sala foram comprados na Society6 e na allposters. as almofadas redondas são da Urban Outfitters.

A vitrola, da marca Crosley, foi comprada na Amazon. Já a mesinha é da Desmobilia

Sites indicados
lojazero.com • *anthropologie.com • *dealextreme.com • urbanoutfitters.com
estantevirtual.com.br • desmobilia.com.br • society6.com • allposters.com.br

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………….

O armário e a estante foram comprados no site do Carrefour. O computador é da Saraiva

A blogueira Carmen Martins, 40 anos, tem muita familiaridade com a internet: ela mantém um blog de moda desde 2007 e outro de decoração, que estreou em 2010. em outubro do ano passado, Carmen decidiu abrir uma loja on-line, a Boutique de Achados (boutiquedeachados.com.br), e comprou todos os móveis do escritório pela web. “não tinha muito tempo disponível e, se fosse sair para procurá-los, ia demorar muito mais. Com a internet, dá para comparar preços e a entrega é super-rápida. a maior parte das ecomendas chegou em até três dias”, conta.

Sites indicados
livrariacultura.com.br • extra.com.br • etna.com.br • etsy.com
elo7.com.br • saraiva.com.br • fnac.com.br • carrefour.com.br

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………….

No quarto de Andréa, o papel de parede é do site Wallpaper From the 70’s, que tem endereço nacional. Espelho da Benedixt

A arquiteta Andrea Reis, 32 anos, sempre recorre à internet quando precisa comprar um papel de parede. “procuro para mim e para os meus clientes. antes de comprar, peço uma amostra pelo site, que é enviada no tamanho de uma folha a4. vale a pena porque você consegue enxergar todos os detalhes”, diz. andrea costuma comprar em sites internacionais e afirma que a entrega pode demorar um pouco, mas os preços bem mais baixos que no Brasil compensam. “Se você tem pressa, melhor pagar um pouco mais caro para que a encomenda chegue antes.”

Sites indicados
*benedixt.com.br • tokstok.com.br • *cb2.com • urbanarts.com.br
lojamod.com.br • papeldeparededosanos70.com • rosamundo.com.br

………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

O nascimento de Felipe, hoje com sete meses, fez com que a decoradora Luciana Colesanti, 33 anos, do blog Studio da lu (studiodalu.com.br), comprasse ainda mais coisas pela web. “tenho preguiça de enfrentar um shopping lotado e, como trabalho com a internet, acabo descobrindo lojas legais”, conta. entre as compras estão móveis, utensílios para a cozinha e roupas para o filho. “É muito difícil achar roupas legais para meninos. e, quando acho, são muito caras. Procurando na internet, descobri duas marcas superlegais para garotos, a pinguino e a Família Ovo.”

A cadeira de ferro e a balança foram compradas no Mercado Livre. Os bowls são da Gamela

Sites indicados
giftexpress.com.br • cinerama.com.br • gamelapresentes.com.br • pinguino.com.br
casadopapeldeparede.com.br • osegredodovitorio.com.br • familiaovo.com

………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

A cadeira é da Bauhaus. Já a cômoda, do Mercado Livre. E o vestido, do OQVestir

Por causa de sua rotina atribulada, a publicitária Lucila Turqueto, 29 anos, que comanda o site Casa de Valentina (casadevalentina.com.br), compra quase tudo pela internet: itens de supermercado, móveis, roupas, remédios, sapatos, acessórios de decoração e até biquínis. “acho que o comprador precisa se certificar do material, porque as fotos enganam muito. e tem de prestar atenção nos detalhes e nas medidas também”, explica. “Faço muita pesquisa antes de comprar. e a maioria dos sites dá uma semana para trocas”, conta.

Sites indicados
shop4home.com.br • theodorahome.com.br • mercadolivre.com.br • obravip.com
matissedecor.com • collector55.com.br • oqvestir.com.br • bauhausdesign.com.br”

via Casa&Jardim
 

Mais alguns sites:

* www.ligtninthebox.com.br – torneiras
* www.sodetalhes.com.br – Porta escovas
* www.aureaonline.com.br – bandejas e porta toialhas para lavabo
* www.viadoinox.com.br – tramontina – coiffa, cooktop, cubas,…
* www.magazinedoinox – tramontina não cobra frete

Seja Feliz no Trabalho

Adorei este video sobre como melhorar o dia-a-dia no trabalho! Para levantar o astral e começar bem a semana.

Fica a dica!

OBS.: Para ativar a legenda em inglês, aperte o quadradinho “CC” no canto inferior direito.

Categoria: Blog, INSPIRAÇÃO · Tags: ,

Manifesto: Ciclo da vida

Mais um post em PRO das bicicletas!!!

Quem sabe nos unindo conseguimos mais investimentos do governo para melhorar a locomoção nas nossas cidades de forma sustentavel para o meio ambiente.

vía Revista Época

“Motivação. A palavra vem do latim, motio, e quer dizer movimento. Mas não qualquer tipo de movimento. A ideia é fazer um esforço, e alcançar suas metas. Elas podem ser ambiciosas, como uma grande promoção no trabalho ou uma média ponderada de gênio na faculdade. Mas a motivação também se aplica às pequenas coisas do cotidiano, aquelas que te impulsionam pra sair da cama. Quer ter a prova disso? Basta sentir-se desmotivado, sem tesão por algo ou alguém.
A minha motivação entrou em recesso de fim de ano, e voltou estranhamente na forma de movimento – em duas rodas. Parece coisa de criança, mas ganhei uma bicicleta de Natal. Não tinha uma desde a minha adolescência fora da cidade grande. Com a bicicleta vermelha, decidi tentar uma coisa nova e andar no trânsito de São Paulo. Escolhi um bom local, plano e arborizado, um bom dia, tranqüilo e com poucos carros, e uma boa companhia, meu melhor amigo com sua mountain bike e seus cachos saindo pra fora do capacete.
Durante o nosso passeio, com direito a chuva, lama e paradas estratégicas para brincar com cachorros, percebi duas coisas. 1) Na bicicleta, o contato com a cidade ganha outra cara. Passo todo dia de carro pelo local onde pedalei, mas senti pela primeira vez muitos cheiros, sons e até a topografia da região. 2) É possível encontrar novas motivações, mesmo que elas a princípio não pareçam tão interessantes. Voltei do passeio cansada, mas motivada. Achei uma coisa que me deu felicidade e proporcionará novos desafios (além de pernas mais torneadas).
Por coincidência, hoje um amigo me mostrou um vídeo que fala exatamente sobre isso. Ele é um manifesto da empresa Holstee, e surgiu quando os seus fundadores deixaram os antigos empregos com a ideia de tocar um novo projeto. Antes de escrever um plano de negócios, eles escreveram um plano de motivação, que aparece nesse cartaz. Depois de seu sucesso, no ano passado o pessoal da Holstee resolveu fazer um vídeo que captasse a ideia de movimento que está na raiz da motivação. E decidiram usar algo que amam, as bicicletas. O resultado está abaixo.”

Lifecycle

Noveleira(o)?

Como boa brasileira eu ADORO uma novelinha!!! E claro que como arquiteta e apaixonada por decoração eu não ia deixar de reparar nos cenarios.

Bom esta semana no site da globo.com achei esta revista on line com alguns ambientes das novelas atuais.

Fui correndo conferir… Passa também!

Vamos de Bike?

Cidade ciclável: a bicicleta como meio de transporte

Seminário na Bienal de Arquitetura de São Paulo apresenta experiências diversas de mobilidade urbana sobre duas rodas

     Enquanto governos hesitam, a sociedade se move e inventa soluções para a mobilidade urbana. Quinta-feira passada (1/12), a 9ª Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo reuniu experiências bem diferentes relacionadas ao uso da bicicleta no transporte urbano, durante o Seminário Cidades Cicláveis. Sintonizado com a iniciativa, o Mobilize Brasil também participou do encontro.

O bate-papo foi aberto por João Paulo Amaral (JP), coordenador da rede Bike Anjo, que expôs o trabalho realizado por seu grupo para estimular e orientar os novatos que querem pedalar nas cidades brasileiras. João Paulo lembrou que o Bike Anjo começou a atuar em 2010 e rapidamente se espalhou pelo Brasil. “Hoje recebemos contatos de gente de Manaus, do Nordeste, de todo o país, gente que procura um apoio para começar a usar a bicicleta no meio urbano ou quer ser um Bike Anjo”, disse ele ao público presente na Oca do Ibirapuera.

Na porta do pavilhão, um sistema de “bike valet” permitia que o público guardasse suas “magrelas” em segurança. O serviço foi montado pela Ciclomídia, empresa do publicitário Edu Grigoletto, que participou do encontro e apresentou suas propostas de paraciclos urbanos patrocinados. O objetivo da Ciclomírdia, explicou Grigoçetto, é criar uma rede de paraciclos e bicicletários que sejam patrocinados por empresas em troca da exibição de mensagens publicitárias.

Na sequência, Lincoln Paiva falou sobre o Instituto Mobilidade Verde, organização que desenvolve planos para mobilidade urbana sustentável e que lançou ideias como a Bicicloteca, um triciclo que proporciona o acesso de moradores de rua a livros e também à internet. Paiva lembrou que a biblioteca sobre rodas nasceu de seu encontro com Robson Mendonça, que já desenvolvia um trabalho de distribuição de livros a pessoas em situação de rua. Com o apoio de empresas, hoje já existem 12 Biciclotecas em operação na cidade de São Paulo, contou o diretor do Mobilidade Verde

O arquiteto Ricardo (Tche) Corrêa, da TC Urbes, expôs sua experiência em viagens de bicicletas – a mais longa delas foi até o Rio Grande do Sul – e o projeto que desenvolveu de uma bicicleta adequada ao brasileiro médio e às condições das cidades do país, a bike Urbana. Tchê também apresentou um projeto para renovação urbana da avenida Nove de Julho, em São Paulo, que substitui o corredor de automóveis e ônibus por um sistema de Veículos Leves sobre Trilhos associado a uma ciclovia. No centro da via, o arquiteto propôs a reabertura do rio Anhangabaú – hoje canalizado – para funcionar como um canal de barcas de transporte de passageiros, uma solução que sinaliza o resgate dos milhares de riachos de São Paulo para a vida urbana.

 


Bicicletário de Mauá

 

Uma experiência que chamou muito a atenção do público foi a relatada por Adilson Alcântara, da Associação dos Condutores de Bicicletas de Mauá e Região. Ele mostrou a trajetória do bicicletário organizado ao lado da estação de trens da CPTM, hoje considerado o maior do gênero nas Américas. Diariamente, cerca de 10 mil bicicletas são guardadas na instalação, usada principalmente por trabalhadores de baixa renda. A AscoBike é mantida pelos próprios usuários, que pagam R$ 15 por mês. Criada inicialmente por iniciativa de Alcântara, a associação cresceu, implantou uma oficina mecânica e serviço de café para os trabalhadores e recebeu posteriormente o apoio da CPTM, que modernizou e ampliou as instalações.

Outra iniciativa inovadora é a empresa Carbon Zero Courier, fundada por Rafael Mambretti. Trata-se de um serviço de entregas rápidas realizado integralmente por ciclistas e que já funciona há um ano em São Paulo. Ele explicou que mesmo sem contar com veículos motorizados, sua equipe consegue atender a endereços a até 15 km do centro da cidade em poucos minutos. Com o sistema, as empresas contratantes podem reduzir seus custos de courier e também suas emissões de carbono. “No final do ano entregamos um certificado aos clientes mostrando cotas de redução de carbono”, contou Rafael.

O olhar voltado para o resgate e a melhoria do ambiente urbano também faz parte do projeto “Cidade para Pessoas”, desenvolvido por Natália Garcia. Com uma bicicleta dobrável, a jornalista vem pondo em prática o projeto de viajar por 12 cidades do mundo, viver um tempo em cada localidade, e coletar boas ideias de planejamento urbano que possam inspirar o modelo brasileiro. Até o momento ela visitou sete cidades (Copenhague, Amsterdam, Londres, Paris, Estrasburgo, Friburgo e Lyon), das quais trouxe exemplos e diversas propostas e reflexões sobre como inserir a bicicleta nas cidades brasileiras.

O jornalista Marcos de Sousa, consultor editorial do Mobilize Brasil, apresentou a proposta do Mobilize e mostrou algumas soluções desenvolvidas em várias partes do mundo para facilitar a integração da bicicleta com outros modos de transporte urbano. Ele citou a falta de apoio de infraestrutura no Brasil, lembrando os problemas enfrentados por quem utiliza a bicicleta no metrô de São Paulo, por exemplo, que é obrigado a vencer vários lances de escadas com o veículo nas costas até chegar à plataforma de embarque dos trens. Marcos também comentou as redes de bicicletas públicas existentes no mundo, a partir da experiência de Copenhague, nos anos 1990, e a recém-implantada rede Bike Rio, na capital fluminense.

O Seminário Cidades Cicláveis teve sequência no dia seguinte, sexta-feira, com uma visita à ciclofaixa do bairro de Moema, na zona sul de São Paulo, e um workshop de projetos de ciclovias. O evento foi organizado pelo projeto Soluções para Cidades da Associação Brasileira de Cimento Portalnd (ABCP).

FONTE: Mobilize (Mobilidade Urbana Sustentavel)