Madeira - casa vogue

Decorando a casa para o inverno

É, o inverno está de volta, gostando ou não dessa estação do ano, temos que nos adaptar. Isso não é diferente com as nossas casas, com pequenas mudanças é possível mudar o visual, e deixar o lugar mais aconchegante. Veja algumas das nossas dicas para enfrentarmos esse friozinho com estilo.

Cadeira trico - Casa.com.br

Cadeira com trico – Fonte: casa.com.br

 

Almofadas e mantas

Com uma mudança pequena, investir em almofadas e mantas, além de dar um up no visual, é ótimo para o frio. Isso serve tanto para a sala quanto para os quartos. O melhor nas almofadas é a possibilidade de troca de capa, e sempre atualizar o ambiente de acordo com a estação ou com o nosso humor. As mantas são ótimas para assistir tv, as peseiras (tecidos que ficam na região dos pés na cama) além de aquecer, dá um chame ao quarto.

Colcha - Casa de Valentina

Sofá com manta e almofada – Fonte: Casa de Valentina

 

Cortinas

As cortinas de tecido fino dão lugar aos tecidos mais grossos, que não permitem a circulação de vento. O ideal é deixar as janelas e portas abertas pela manhã, e no restante do dia fechadas. Assim mantemos o ambiente arejado e aquecido ao mesmo tempo.

Cortina - Foto Thyara Porto

Sala com cortina de tecido- Fonte Thyara Porto

 

Lareira

As lareiras são uma ótima pedida para o friozinho, as mais indicadas são as ecológicas que são a base de álcool, não poluem e não precisam de chaminé, pois não emitem fumaça. No mercado existem de todos os tamanhos, as portáteis são fácil de transportar e cabem até em ambientes pequenos.

Lareira ecológica - construflama

Living com lareira ecológica – Fonte: Construflama

 

Tapetes

Os tapetes quando bem utilizados, preenchem a sala e completam a decoração. No inverno o ideal é usar os tapetes com tecidos mais felpudos, que aquecem e protegem do contato com o chão frio. Não se esqueça dos tapetes dos banheiros. Veja abaixo algumas imagens de como usar os tapetes sem errar no tamanho.

 

Tapete - Casa Vogue

Sala com tapete felpudo – Fonte: Casa Vogue

 

Tapete tamanho - incrivel.club

Acerte no tapete do quarto – Fonte: Incrível.club

 

Tapete tamanho - carinapedro.com

Acerte no tapete da sala – Fonte: carinapedro.com

 

 

Iluminação

Deixe de lado a iluminação branca e aposte nos tons amarelados, eles são mais aconchegantes e tornam o ambiente mais intimista, principalmente para os quartos.

Iluminação - palazzo.ind.br

Quarto com iluminação quente – Fonte: palazzo.ind.br

 

iluminação - temperatura

Temperatura de cor

 

Madeira

Não existe estação para a madeira, mas no inverno ela rouba a cena. Pode ser usada em diversos lugares, como pisos, painéis e mobiliários. Assim além de mais quente, o ambiente fica mais aconchegante.

Madeira - casa vogue

Sala com móveis em madeira e painel de madeira nas paredes – Fonte: Casa Vogue

 

Gostou de nossas dicas? Ficou com dúvida ou tem uma sugestão de assunto? Comente aqui em baixo!

 

Veja nossos perfis no Facebook e Instagram e fique por dentro de todas as novidades do escritório!

 

https://www.facebook.com/DanyelaCorreaArquiteta/

https://www.instagram.com/danyelacorrea.arquiteta/

 

piso-vinilico-eucafloor-decore1

Piso Vinílico

 

Continuando com o tema da semana Revestimentos, o assunto de hoje será Piso Vinílico.

piso-vinilico-eucafloor-decore1

Piso vinílico em réguas – Linha Family – Fonte: Eucafloor

Esse tipo de piso é recomendado para uso interno, está disponível no mercado em diversos formatos e acabamentos. Tem um ótimo custo benefício, pois é possível ter aparência de um piso de madeira, com a facilidade de manutenção e instalação do piso vinílico. É feito com materiais recicláveis como o PVC, é antialérgico, não mancha e tem uma durabilidade grande. Algumas marcas como a Tarkett oferecem até 15 anos de garantia.

 

Sonora - Duratex

Piso vinílico em réguas – Linha Sonora – Fonte: Duratex

 

Para a sua instalação é necessário que o contrapiso esteja totalmente nivelado. Se algum problema for verificado pela equipe de instalação, é necessário que seja resolvido antes mesmo de dar continuidade na obra. Em muitos casos, é necessário aplicar uma massa niveladora sobre o contrapiso, feita com uma mistura de cimento e cola PVA.

 

vinilico-tarkett-piso-833401-MLB20311352210_052015-F

Piso vinílico em réguas – Linha Essence – Fonte: Tarkett

 

Outra vantagem é a possibilidade de ser instalado em cima de outros pisos, exceto o carpete têxtil, cimento queimado e piso de madeira. Assim, com o uso do vinílico podemos evitar o quebra quebra das reformas. A instalação pode levar até três dias e o ambiente pode ser usado no mesmo dia.

Existem dois tipos de tipo vinílico no mercado: o clicado e o colado.

Clicado

Installing wooden laminate flooring

Piso Vinílico Clicado – Fonte: http://info.zblu.com.br/

O piso vinílico clicado tem a instalação mais fácil, não é preciso usar cola, apenas o encaixe de suas peças. Isso faz com que não seja recomendado para locais úmidos, até mesmo para a limpeza é necessário o uso de apenas pano úmido, pois é possível que a água penetre pelas frestas e crie umidade embaixo do piso. Ele é mais resistente que o colado, e pode ser retirado e instalado novamente em outro local em casos de mudança.

 

Colado

Piso colado

Piso Vinílico colado – Fonte: http://maesamigas.com.br/

O colado tem sua instalação feita com cola adesivo acrílico indicada pelo fabricante. É permitido o uso em locais com umidade, lembrando que mesmo mais resistente, não é possível que fica submerso sob a água, e para a limpeza a água deve ser retirada com rapidez. Caso alguma peça tenha alguma avaria, ou problema na instalação, é possível retira-lá e colocar outra no local, o que não ocorre com o sistema click, que necessita que sejam retiradas várias peças para manutenção.

 

Mesmo com toda a facilidade de instalação, ainda é indicado que o serviço seja feito com mão-de-obra especializada. Muitos fornecedores deixam sua garantia totalmente vinculada com a instalação, então é preciso tomar cuidado. Além disso a durabilidade pode ser estendida de acordo com a qualidade do serviço.

Temos disponível no mercado diversos acabamento e formatos, as opções de manta são melhores para corredores, as placas são ótimas para piso elevados em locais comerciais, e as réguas normalmente são em acabamento imitando a madeira. As variedades são infinitas!

 

Tarkett linha magic 1

Piso vinílico em manta – Linha Magic Tarkett – Fonte: Tarkett

 

Tarkett linha magic

Piso vinílico em manta – Linha Magic Tarkett – Fonte: Tarkett

Sobre a limpeza, é necessário que seja feita após 5 dias da instalação, assim é garantido que o piso já está firme. As demais podem ser feitas com vassouras ou pano com detergente neutro. Lembrando que os pisos com relevos acumulam mais sujeira que os mais lisos.

Os melhores fabricantes de piso vinílico são a Tarkett, Eucatex e Duratex. Todos são apenas fabricantes e não fazem venda direta ao cliente final.

Veja abaixo os links e confira os modelos de cada marca:

http://tarkett.com.br/

http://www.eucatex.com.br/pt/pisos/pisos-vinilicos/

http://www.duratexmadeira.com.br/pisos-lvt/D81

 

Ficou com alguma dúvida? Comente aqui em abaixo e teremos todo o prazer em te ajudar.

Veja nossos perfis no facebook e Instagram e fique por dentro de todas as novidades do escritório!

 

https://www.facebook.com/DanyelaCorreaArquiteta/

https://www.instagram.com/danyelacorrea.arquiteta/

restaurante canteiro santos

Cerâmica ou Porcelanato?

Você sabe quais são as diferenças entre cerâmicas e porcelanatos?

 

Para escolher o piso da reforma ou da casa nova, não podemos pensar só nas cores, texturas ou tamanhos. É preciso entender um pouco sobre os revestimentos disponíveis no mercado. Vamos entender um pouco sobre as suas diferenças, assim problemas futuros são evitados.

O tamanho das placas deve ser escolhido pelo tamanho do ambiente. As placas grandes sofrem muito com perdas em locais pequenos. Para esses lugares é recomendado usar peças menores, assim o pedreiro terá que fazer menos cortes para o assentamento.

Cuidado com as áreas molhadas! Ambientes externos, cozinhas ou banheiros exigem revestimentos antiderrapantes. Já em ambientes secos, como salas e quartos, pode ser usado pisos lisos e com brilho. Lembrando que os pisos de acabamento com brilho são mais frágeis e perdem o brilho com o tempo, principalmente em locais com movimento muito grande de pessoas.

Já sabe se vai comprar Porcelanato ou Cerâmica? Veja abaixo as especificações de cada piso.

 

 

Cerâmicas

revestimento ceramico portobello

Cerâmica Fonte: http://solucoeslucymizael.com.br/

São feitas principalmente por uma mistura de argila com outras substâncias químicas. São mais baratas que o Porcelanato e tem disponíveis modelos esmaltados e naturais. As esmaltadas são mais resistentes a umidade e a produtos químicos.

Existem também catagorias, Tipo A é a cerâmica de primeira linha, na sua grande maioria não tem defeitos visuais. Tipo B e C tem a mesma resistência que a primeira, mas aparecem alguns defeitos em seu acabamento. A Tipo D não tem garantia de resistência, além de seus defeitos visíveis, e não é mmuito recomendada, pois tem sua vida útil muito pequena.

 

 

Porcelanato

BANHEIRO

Porcelanato – Portobello Bianco Paonazzetto 90×90 Polido Retificado – Foto: Felipe Torelli

Esses são feitos com massa porcelânica e argilomineirais. Na sua fabricação sofrem mais queima que as cerâmicas, proporcionando maior resistência ao produto final. Outras vantagens são: alta resistência mecânica, resistência a agentes químicos, baixa absorção de umidades, além de serem mais fáceis de limpar. Tem uma facilidade maior na hora da instalação, pois todos têm o mesmo tamanho, sem grandes variações de peça para peça.

Os produtos com etiqueta de Qualidade A, ou Qualidade Extra, atendem as normas técnicas da NBR 15463 ou NBR 13818. Nessa categoria, os pisos tem tamanhos regulares e sem defeitos na superfície. A linha Comercial ou Tipo C, podem ter alguns defeitos e serem um pouco irregulares, é a versão mais barata, porém o cliente pode sofrer com perdas na hora do assentamento.

 

Além dessas linhas, o porcelanato pode ser encontrado em versões Esmaltadas ou Técnicas.

Esmaltadas: tem uma camada de esmalte na sua superfície e podem ter acabamento com brilho, rústico ou acetinado. Esses têm mais resistência a manchas.

 

Técnico / Massa única: a grande diferença quando comparados aos esmaltados, é que a peça técnica é feita com uma massa única. Além de trazer maior resistência e absorção de umidade, essa opção disfarça trincas e pequenos lascados, pois o seu interior tem a mesma cor que a superfície. Tem opção de acabamentos Natural sendo semifosco, ou Polidos que passam por um processo de polimento mecânico.

 

Piso concretíssima

Porcelanato – Portobello Matiz Grigo 60×120 Natural Retificado – Foto: Marcela Madureira

 

 

Sobre o corte das peças existem dois tipos:

Retificado: Tem os cantos retos em 90°, para a instalação é necessário uma quantidade menor de rejunte, podendo ser feito quase sem junta.

residencia SF

Porcelanato – Portobello Cement 90×90 Natural Retificado – Foto: Karen Felix e Maira Rossi

 

 

Bold:  Tem as bordas arrendondadas, e na instalação as peças ficam um pouco mias distante uma das outras, ficando mais parecido com os pisos cerâmicos.

restaurante canteiro santos

Porcelanato – Portobello Six Concreto Aparente 48×48 Bold – Foto: Felipe Torelli

 

 

Conseguiu definir qual o tipo de piso se encaixa mais no seu caso? Lembre-se de comprar de 10 a 15% a mais do que o necessário, pois existe perda no assentamento. Deixando para comprar depois, tem a possibilidade de não ser exatamente igual ao que foi comprado anteriormente.

Lembre-se também que a mão de obra para a instalação deve ser muito bem escolhida, assim a vida útil do seu piso pode ser prolongada a muito e muitos anos!

 

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato via comentário que responderemos assim que possível!

Curta nossa página no facebook e fique por dentro de todas as novidades do escritório!

https://www.facebook.com/DanyelaCorreaArquiteta/

DanyC_apDetroit 029

Iluminação – LED e inspirações

Continuando o post anterior sobre Iluminação, vamos falar sobre os LEDs, os novos queridinhos da iluminação.

DanyC_apDetroit 029

Cabeceira com Fita de LED embutido

Na verdade os LEDs não são tão novinhos assim, eles estão presentes na nossa vida a tempos, no relógio digital, na luzinha da TV, rádio. A sua origem foi no ano de 1963 apenas na cor vermelha.

Depois de muitos estudos, essa tecnologia foi incluída nas lâmpadas, telas de TV, celulares e diversos outros lugares. Mas ainda há muito o que melhorar, e com certeza ouviremos muitas novidades sobre eles em breve.

 

As vantagens desse tipo de lâmpadas são muitos:

– Elas têm a vida útil muito maior que qualquer outro tipo, chegando até a 50.000 horas de uso! Fazendo com que o gasto com manutenção seja mínimo.

– Como utilizam baixa voltagem, não oferecem riscos na hora da instalação.

– É resistente a impactos, pois não usam filamentos internos para funcionarem

– Possuiu alta eficiência luminosa, apesar de ainda não ser a melhor nesse quesito. Podendo ser comparada as lâmpadas fluorescentes.

– Não usam mercúrio para seu funcionamento, sendo ecologicamente correta e não trazendo danos a natureza.

– Não causam danos a quadros e obras de artes, pois não emitem radiação infravermelha.

– São mais econômicas, pois não perde energia em forma de calor.

 

Alguns modelos de LED já podem ser dimmerizados, mas isso deve ser verificado no ato da compra, pois é variável de acordo com o modelo e fabricante. Abaixo veja um exemplo de como identificar se o produto tem essa possibilidade.

dimmer

LED dimmerizável. Fonte BlueLux

 

 

Com todas essas vantagens, a substituição dos antigos modelos por LEDs é cada dia maior. Elas já estão substituindo as lâmpadas dicroicas, PAR20, PAR30, incandescente comum, lâmpada balão e até tubos similares a fluorescentes.

LEDS

O custo inicial para a utilização de LEDs é maior que os outros, porém, as suas vantagens como a sua longa vida útil, faz com que o seu custo-beneficio seja melhor que as suas concorrentes.

Um ponto de desvantagem dos LEDs é o Índice de Reprodução de cor. Esse índice determina a fidelidade com que as cores de uma fonte de luz artificial é reproduzida, sendo uma escala de 0 a 100. Em outras palavras, quanto maior o índice, melhor podemos ver as cores reais dos objetos. A luz do sol tem o índice 100, já o LED tem em média 80, variando de acordo com o fabricante. Isso torna ainda mais importante a compra de mercadoria com melhore qualidade como os LEDs Philips e Osram. Veja abaixo os números de algumas lâmpadas existentes no mercado.

indice-de-reproducao-cor

IRC – Índice de Reprodução de Cor. Fonte Empalux

 

Precisamos tomar muito cuidado na hora de escolher o LED. Não existe uma normatização clara para a fabricação das lâmpadas, fazendo com que a qualidade seja afetada. É preferível investir um valor mais alto, a comprar um com origem duvidosa. Como ela se paga com o tempo, é necessário que dure bastante.

Portanto, busque bons profissionais para esse investimento tão importante, além de trazerem produtos de qualidade, a satisfação é certeira.

Está curtindo nossas publicações? Dê um like ou comente sobre o que você tem dúvida, teremos prazer em ajuda-los.

Veja agora algumas inspirações de projetos luminotécnicos que trouxeram vida ao local de instalação.

corredor

Iluminação decorativa com arandelas

 

Decora Brazil

Iluminação decorativa com Balizador no piso

 

DanyC_apDetroit 009

Iluminação na sala de jantar

 

abb5817e0fc272b95886c2792e5b87d7

Escada com iluminação no piso

 

Campo Belo-124

Cozinha com iluminação no forro

 

Campo Belo-137

Painel de TV iluminado

 

 

 

 

 

Iluminação – Incandescentes e Fluorescentes

Já pensou em deixar sua casa mais aconchegante?

Um bom projeto iluminação pode fazer milagres, destacando os pontos forte e criando diferentes cenas para cada momento.

 

Mas primeiro precisamos entender os tipos de lâmpadas existentes no mercado.

 

– Lâmpadas incandescentes:

Incandecentes

É o tipo de lâmpada mais antiga, muito utilizada para projetos residências por terem baixo custo de compra. Porém, o rendimento na parte energética também é baixo, o que faz com que sejam pouco usadas para fins não residenciais. Cerca de 5% da energia é transformado em luz, já os outros 95% são perdidos em forma de calor.

Além das incandescentes normais, existem o grupo das incandescentes halógenas, como as PAR, Dicroicas, AS e Halopin. Essas têm a possibilidade de atingir temperaturas mais elevadas, rendendo maior eficiência luminosa. Comparando com as comuns, essas oferecem mais luz e tem a vida útil mais prolongada.

Lâmpada Halopin

Lâmpada Halopin

Dicroica

Dicroica

Par 20

Par 20

 

A qualidade da sua luz é destaque nesse tipo de luz, por isso não são substituídas por outros tipos mais econômicos. São indicadas para valorização de objetos como quadros ou texturas.

A possibilidade de serem

também é uma vantagem muito grande, assim podemos usar uma quantidade menor de luz, criando ambientes mais aconchegantes para quartos, home thearter, entre outros.

 

 

– Lâmpadas Fluorescentes:

Lâmpada Fluorescente

Lâmpada Fluorescente

São conhecidas como lâmpadas frias, essas funcionam graças a uma mistura de gases (argônio, mercúrio e fósforo) dentro de seus tubos. Tem a vida útil muito maior que as incandescentes, até seis vezes. Outra grande qualidade nesse tipo de lâmpada é o consumo de energia, elas não perdem energia com o calor, assim utilizam menos energia que suas concorrentes.

Porém, esse tipo de lâmpada não tem a mesma qualidade de reprodução de luz quando comparadas as incandescentes. Com diversas pesquisas, surgiram novos formatos que buscam compensar esse problema, como as compactas, torcidas, redondas e formatos similares as incandescentes.

Lâmpada Fluorescentes

Lâmpada Fluorescentes

Não é recomendado utilizar somente esse tipo de lâmpada no projeto luminotécnico, elas exigem muito cuidado para ter um resultado interessante. As temperaturas das cores podem variam muito, trazendo novos aspectos para cada ambiente.

No próximo post falaremos sobre as lâmpadas LED, novo fenômeno do setor.

 

Apartamento Duplex – Campo Belo

 

Para esse apartamento, localizado no Campo Belo, o casal buscava um ambiente jovem, para receber amigos, sem perder o aconchego do dia-a-dia.

Ele, como todo o gaúcho, adora cozinha e um bom churrasco. A integração dos ambientes se tornou indispensável, além de proporcionar mais amplitude para a sala e cozinha.

Antes e Depois – Cozinha

A escolha dos revestimentos visou a praticidade, optamos por piso de porcelanato na sala e cozinha, e granito na varanda. Os armários sob medida também foram pensados para acomodar todos os objetos e eletrodomésticos, deixando os espaços mais funcionais. Aproveitamos cada cantinho do apartamento, até mesmo o vão abaixo da escada, que foi utilizado para acomodar a adega e armário “escondido” para malas e outros objetos.

A área de serviço foi isolada através de uma porta de correr de espelho, e o restante da parede alinhada a porta também recebeu revestimento de espelho afim de proporcionar maior sensação de amplitude.

 

No andar superior, utilizamos piso vinílico que imita a madeira, mais agradável ao tato, além de suas propriedades acústicas. A varanda da suíte do casal foi fechada e transformada em um closet com cantinho para leitura.

Veja abaixo mais imagens:

Fotografo Renata Carrara

Antes e Depois – Varanda

Antes e Depois – Sala de Estar

 Antes e Depois – Lavabo

Antes e Depois – Varanda Suíte

Suíte Master

  

Matéria no site Terra.com.br

Confira o Antes e Depois deste apartamento na matéria do Terra com projeto do escritório Danyela Correa – arquitetura e interiores.

A reportagem destaca as transformações propostas pelo escritório para otimizar o espaço e adequa-lo as necessidades dos moradores, sempre com mto charme!

Veja materia completa no link: Vida e Estilo – Terra

Projeto Residência – estudo

Este projeto está saindo do forno aqui no escritorio! Será uma casa maravilhosa com muita integraçao e espaço para toda a família. Estas são as perspectivas ilustrativas das fachadas. Espero que gostem!!!

Loft delicioso na praia

via Casa de Valentina

“Com vista privilegiada para a bacia da praia de Jurerê, em Florianópolis, esse loft duplex possui uma localização tão particular que exigia uma decoração também única e elegante. Para não criar barreiras visuais e deixar a paisagem sempre à mostra, os arquitetos Flávia Guglielmi e Marcelo Salum optaram por móveis e estruturas baixas, preservando o living de pé-direito duplo totalmente livre de grandes intervenções.
Os panos de vidro na fachada do prédio permitem a entrada de iluminação natural abundante que, nos dias de muito sol, pode ser suavizada através de xales translúcidos instalados em varais de inox. De acordo com o clima descontraído do litoral, a atmosfera do apartamento é tranqüila, sem excessos, onde predominam o visual clean e o conforto total nos estofados de sarja, nos quais os proprietários podem se esparramar à vontade durante as férias.
Como o imóvel é relativamente pequeno, a saída dos arquitetos foi otimizar ao máximo o uso dos espaços recorrendo à marcenaria coringa. Um exemplo é a bancada de laca branca da cozinha, que se estende e se transforma na peça que abriga a televisão. Ao redor do sofá, um rack sob medida funciona como apoio para copos, livros e objetos decorativos. Sob a escada, uma segunda bancada acomoda o frigobar, substituto da geladeira, que ocuparia muito espaço.
No mezanino, o dormitório possui tons neutros, o que garante ainda mais relaxamento. Embutidas no forro de gesso, cortinas rolôs bloqueiam totalmente a luz do sol quando necessário, como durante os deliciosos cochilos de fim de tarde. “
Arquitetos Flávia Guglielmi e Marcelo Salum
Arquitetos Flávia Guglielmi e Marcelo Salum
Arquitetos Flávia Guglielmi e Marcelo Salum

Varanda: ampliação e decoração

Hoje gostaria de compartilhar um projeto meu que esta em andamento.

Trata-se de uma reforma de varanda com ampliação da área, troca do telhado e projeto de decoração com aproveitamento de alguns móveis existentes.

Esta varanda originalmente media 5,30×3,50m  e comportava 6 pessoas, com o novo projeto a varanda irá acomodar confortavelmente 9 pessoas e ainda terá mais 3 banquinhos para dias de festa, totalizando 12 lugares, o dobro da capacidade original, e medira 7,00×5,50m.

Outros detalhes também foram previstos no projeto como um bom aparador para servir de buffet em dias de jantares a americana ou mesa de frios e bar para reuniões informais. E uma “mesa-bandeja” para facilitar o leva e trás das coisas até a cozinha.

Um novo espaço amplo e confortável para receber amigos!!! Espero que gostem!!!

Varanda decoraçao e reforma

arquiteta danyela correa

Decor Varanda por Danyela Correa

 OBS.: Quando a obra ficar pronta posto as fotos finais.

Um lindo entardecer!

arquiteta danyela correa

Fotinho da Varanda Gourmet em final de tarde delicioso e decoração de Natal!!!

Espero que gostem!

 

Meus trabalhos

arquiteta danyela correa